Pelo terceiro dia consecutivo, a Polícia Militar está em operação no bairro Lagomar, em Macaé, no interior do Rio, em busca de traficantes envolvidos na morte do cabo José Renê Araújo, morto com um tiro na cabeça durante uma troca de tiros na última terça-feira (9). Após a onda de violência desencadeada na terça, o batalhão da PM na cidade teve reforços de policiais de municípios vizinhos e de dois helicópteros do Rio e estão auxiliando a corporação na busca pelos criminosos. Uma das aeronaves é equipada com uma câmera de alta definição. As imagens captadas por ela são exibidas em um monitor e as informações passadas para o policiais que estão em terra. Com autonomia de voo de mais de 600 quilômetros, o helicóptero também pode fazer buscas noturnas graças ao equipamento com visão térmica. Segundo o comando do batalhão de Macaé, três pessoas foram mortas, incluindo o policial, e cinco foram baleadas. Três ônibus foram incendiados e outros dois foram atacados também em tentativas de incêndio. Ainda de acordo com a PM, a ordem já foi reestabelecida na cidade, mas a operação vai continuar por tempo indeterminado. A corporação pede que quem tenha alguma informação sobre o paradeiro dos criminosos entre em contato com o Disque Denúncia pelo número (22) 2765-7296 Onda de violência em Macaé A onda de violência começou depois de uma operação contra criminosos ligados ao tráfico de drogas, que culminou em um confronto. Um dos mortos foi o cabo José Renê Araújo Barros, de 35 anos, que foi enterrado na tarde desta quarta-feira (10) em Itaperuna, no Noroeste Fluminense. O Disque Denúncia divulgou um cartaz oferecendo R$ 5 mil de recompensa para quem tiver informações que ajudem a esclarecer a morte do policial. Fonte:G1 e Imparcial Notícias